Por Pergunto em 26/11/2006

Galo gaúcho

Era uma vez um fazendeiro que tinha um galinheiro com 180 galinhas e estava procurando um bom galo para produzir ovos. Um belo dia, o fazendeiro vai até o povoado, entra na agropecuária e diz para o vendedor:
– Boa tarde! Procuro um bom galo capaz de cobrir todas as minhas galinhas. O vendedor responde:
– Quantas galinhas tem?
– No total, 180, diz o fazendeiro.
– Então o vendedor puxa uma gaiola com um galo enorme, musculoso, com a crista de pé, olhos azuis e uma tatuagem dos Rolling Stones no peito, e diz para o fazendeiro:
– Leva esse aqui, o Alberto, veio do Rio de Janeiro, ele não falha.
O fazendeiro leva o galo e, no dia seguinte, pela manhã, o solta no galinheiro. O galo sai correndo, pega a primeira galinha, e dá duas sem tirar, pega a segunda, dá a primeira, e quando estava na segunda… cai frito. O fazendeiro olha e diz:
– O que me vendeu este vendedor fdp ? Este galo puto comeu duas galinhas e capotou.
Então, pegou o galo pelo pescoço e levou-o até vendedor e contou para ele o que aconteceu. O vendedor se desculpou e puxou outro galo. Este era preto, de crista amarela, olhos cinzas e tênis da Nike. E diz para o fazendeiro:
– Esse aqui é o Fernando, o melhor que tenho, mandei vir especialmente de São Paulo. Dá uma olhada no trabalho dele depois me conta.
O fazendeiro volta para a fazenda com o galo e repete a manobra: O galo sai alucinado, come a primeira galinha de pé, pega a segunda e traça, na terceira ele faz o 69 e quando está bombeando a quarta, cai morto no meio do galinheiro. O fazendeiro, emputecido, pega o galo pelas patas, se manda para o povoado, entra porta adentro na agropecuária e diz para o vendedor:
– Escuta aqui o fdp, é o segundo galo que tu me vende e que não presta para nada. É melhor você me vender um galo decente ou vou tocar fogo nesta merda, sacou cara!!!
Então o vendedor puxa um galo de bombacha e de bota e de lona, guaica, lenço e uma camisa vermelha do INTERNACIONAL com os dizeres: “Tomo chimarrão e daí, tchê!?!?” e diz ao fazendeiro:
– Olha, é só o que me resta. O nome dele é Gaudêncio, é de uma cidade chamada Santo Ângelo e veio para cá por engano num barco que vinha do Rio Grande do Sul.
O fazendeiro, puto da cara, leva o galo pensando:
– Que c*ralho vou fazer com este galo gaúcho…
Chegando na fazenda solta o Gaudêncio no galinheiro, o galo joga a camisa do Internacional para um lado e sai enlouquecido comendo as 180 galinhas de um saque. Dá uma respirada e come as 180 de novo. Sai correndo e enraba o pastor alemão, aí o fazendeiro pega ele, dá dois sopapos para acalmá-lo e tranca ele na gaiola.
– Porra, um fenômeno este galo ! – Pensa o fazendeiro.
E as galinhas todas enlouquecidas com o Gaudêncio: o Gaudêncio isto, o Gaudêncio aquilo…, e com você o que que ele fez…, e comigo ele fez tal coisa…. loucura total. Todas as galinhas querendo ir de muda pra Porto Alegre. No dia seguinte solta o bicho de novo, o Gaudêncio sai levantando poeira, dá duas voltas no galinheiro faturando tudo que é buraco com penas que encontra pelo caminho, sai correndo e come o cachorro, o porco e duas vacas. O fazendeiro corre atrás, pega ele pelo pescoço, dá umas chacoalhadas para acalmá-lo e joga ele na gaiola. ·
– Que galo louco ! Vai me cobrir a fazenda inteira ! – diz o fazendeiro.
No dia seguinte, vai buscar o galo e encontra a gaiola toda arrebentada…
– O Gaudêncio fugiu !
Sai correndo para o galinheiro e encontra todas as galinhas de bunda pra cima fumando e assuviando, lá fora o porco com o c* pro sol, as duas vacas deitadas no chão falando no Gaudêncio, o cachorro com a bunda arruinada, e pensa:
– Ele vai comer o gado do vizinho, vão me matar!!!
Então pega o cavalo e sai procurando o Gaudêncio sem descanso, seguindo a pista deixada por ele (cabras suspirando, bodes passando Hipoglós, até que, de repente, distância, vê o Gaudêncio caído no chão.
Uma cena desgarradora ! E os abutres voando em círculos, se babando de fome. Quando viu os abutres sobrevoando, o fazendeiro entendeu a situação:
– Nãaaooooo, Gaudênciooooo…. Morreuuu o Gaudêêêêêêncio!!! A única vez que encontro um galo de verdade…
E no meio do lamento, cuidadosamente, Gaudêncio abre um olho, olha o fazendeiro e, assinalando os abutres, pisca e diz:
– Shhhhhhhhh! Te Acalma e fala baixo Tchê, que aquelas neguinhas estão quase descendo…