Tag "jeitinho"

Por Pergunto em 28/03/2012

Brasileiro é assim

Brasileiro é assim:

– Saqueiam cargas de veículos acidentados nas estradas.
– Estacionam nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
– Subornam ou tentam subornar quando são pegos cometendo infração.
– Trocam votos por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.
– Falam no celular enquanto dirigem
– Trafegam pela direita nos acostamentos num congestionamento.
– Param em filas duplas, triplas em frente as escolas
– Violam a lei do silêncio.
– Dirigem após consumirem bebida alcoólica.
– Furam filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
– Espalham mesas, churrasqueira nas calçadas.
– Pegam atestados médicos sem estar doentes, só para faltar ao trabalho.
– Fazem gato (macaco em algumas regiões) de luz, de água e de tv a cabo.
– Registram imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
– Compram recibos para abater na declaraçao do imposto de renda para pagar menos imposto
– Mudam a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
– Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota de 20.
– Comercializam objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
– Estacionam em vagas exclusivas para deficientes.
– Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
– Compram produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.
– Substitui o catalizador do carro por um que só tem a casca…
– Diminuem a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
– Emplacam o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA
– Frequentam os caça-niqueis e fazem uma fezinha no jogo de bicho.
– Levam das empresas onde trabalham, pequenos objetos como clips, envelopes, canetas, lápis, como se isso não fosse roubo.
– Comercializam os vales transportes e vale refeição que recebem das empresas onde trabalham.
– Falsificam tudo, tudo mesmo, só não falsificam aquilo que ainda não foi inventado…
– Quando voltam do exterior, nunca falam a verdade quando o policial perguntam o que trazem na bagagem…
– Quando encontram algum objeto perdido, na maioria não devolve.

E querem que os políticos sejam honestos…
Se escandalizam com a farra das passagens aéreas, cartões de crédito corporativos, propinas, dinheiro na cueca, desvios de dinheiro e afins!

Estes políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo… ou não?

Por Cretino em 28/08/2006

Dicionário Brasileiro de Prazos

Para evitar que estrangeiros fiquem pegando injustamente no nosso pé, está sendo compilado o Dicionário Brasileiro de Prazos??? – que já deveria estar pronto, mas atrasou, do qual foram extraídos os trechos a seguir:

DEPENDE: Envolve a conjunção de várias incógnitas, todas desfavoráveis. Em situações anormais, pode até significar sim, embora até hoje tal fenômeno só tenha sido registrado em testes teóricos de laboratório. O mais comum é que signifique diversos pretextos para dizer não.

JÁ JÁ: Aos incautos, pode dar a impressão de ser duas vezes mais rápido do que já. Ledo engano; é muito mais lento. Faço já significa “passou a ser minha primeira prioridade”, enquanto “faço já já” quer dizer apenas “assim que eu terminar de ler meu jornal, prometo que vou pensar a respeito.”

LOGO: Logo é bem mais tempo do que dentro em breve e muito mais do que daqui a pouco. É tão indeterminado que pode até levar séculos. Logo chegaremos a outras galáxias, por exemplo. É preciso também tomar cuidado com a frase Mas logo eu?, que quer dizer Tô fora.

MÊS QUE VEM: Parece coisa de primeiro grau, mas ainda tem estrangeiro que não entendeu. Existem só três tipos de meses: aquele em que estamos agora, os que já passaram e os que ainda estão por vir. Portanto, todos os meses, do próximo até o Apocalipse, são meses que vêm!

NO MÁXIMO: Essa é fácil: quer dizer no mínimo. Exemplo: Entrego em meia hora, no máximo. Significa que a única certeza é de que a coisa não será entregue antes de meia hora.

PODE DEIXAR: Traduz-se como nunca.

POR VOLTA: Similar a no máximo. É uma medida de tempo dilatada, em que o limite inferior é claro, mas o superior é totalmente indefinido. Por volta das 5h quer dizer a partir das 5 h.

SEM FALTA: É uma expressão que só se usa depois do terceiro atraso. Porque depois do primeiro atraso, deve-se dizer “fique tranqüilo que amanhã eu entrego.” E depois do segundo atraso, “relaxa, amanhã estará em sua mesa. Só aí é que vem o amanhã, sem falta.”

UM MINUTINHO: É um período de tempo incerto e não sabido, que nada tem a ver com um intervalo de 60 segundos e raramente dura menos que cinco minutos.

VEJA BEM: É o day after do depende. Significa “viu como pressionar não adianta?” É utilizado da seguinte maneira: “Mas você não prometeu os cálculos para hoje?” Resposta: “Veja bem…” Se dito neste tom, após a frase “não vou mais tolerar atrasos, OK?”, exprime dó e piedade por tamanha ignorância sobre nossa cultura.

ZÁS-TRÁS: Palavra em moda até uns 30 anos atrás e que significava ligeireza no cumprimento de uma tarefa, com total eficiência e sem nenhuma desculpa. Por isso mesmo, caiu em desuso e foi abolida do dicionário.